PIBID

PIBID

domingo, 29 de novembro de 2015

Aula Prática 03 - Júri Simulado

PIBID 2015 - Segundo Semestre


Grupo: Natália Goulart, Adrieli Martins, Clécia Alves, Larissa Batista e Leonardo Henrique 
Prof. (a) supervisora: Jaqueline Castelo Branco
Cidade: Muzambinho - MG           Séries: 1°e 2° ano do ensino médio    
Escola: Escola Estadual Professor Salatiel de Almeida    


Prática

Aula 6 - O julgamento: Júri simulado 
Dia - 13/11/15

No dia 13 de novembro de 2015, foi realizada a aula prática sobre a temática ''Agricultura Convencional e Conservacionista e os Impactos Ambientais'', com turmas do 1º e 2º ano do Ensino Médio, na Escola Estadual Professor Salatiel de Almeida. A aula prática foi intitulada como: O julgamento: Júri simuladoO júri simulado é uma dinâmica na qual visa uma simulação de um tribunal judiciário.




Metodologia



Antes mesmo de começar a aula prática, houve a preparação do cenário para a atividade.Foi montada uma pequena estrutura que lembra-se uma sala de tribunal, com mesas e carteiras, as quais continham uma identificação para os participantes do julgamento.






Inicialmente, foram escolhidos 5 alunos (voluntariamente), cada um deles por meio de um sorteio pegou um papel, o qual delegava uma função no júri simulado.Logo após o sorteio, os discentes tiveram que escolher os membros que integrariam as suas equipes, e isso aconteceu da seguinte forma:

- Os alunos que tiraram o papel com as funções de advogado de acusação e de defesa, deveriam escolher mais 4 pessoas para integrar a equipe;

- O aluno que ficou com o papel de testemunha, podia escolher mais 5 pessoas; 

- O aluno que ficou com o papel de jurados, podia escolher mais 4 pessoas;

- E somente com exceção do réu, que deveria permanecer sozinho no julgamento.

Observações: O número de representante nas demais equipes variou de acordo com a quantidade de alunos nas turmas. A função de juiz ficou a cargo de todos os 5 bolsistas, que mediaram todo o processo.

Descrição das funções no júri simulado:

- Réu: Chamado em juízo para responder em ação civil ou por crime.

- Advogado de acusação: Formula as acusações contra o réu ou ré.

- Advogado de defesa: Defende o réu ou ré e responde às acusações formuladas pelo advogado de acusação.

- Testemunhas: Falam a favor ou contra o réu ou ré, de acordo com o que tiver sido combinado, pondo em evidência as contradições e enfatizando os argumentos fundamentais.

- Corpo de Jurados: Ouve todo o processo e a seguir vota: Culpado ou inocente, definindo a pena. A quantidade do corpo de jurados deve ser constituído por número ímpar (3, 5 ou 7).

- Juiz: Dirige e coordena o andamento do júri.

Após todos os alunos se acomodarem em suas devidas posições,o julgamento foi iniciado e o juiz apresentou a situação problema para os discentes, e isso foi feito com o apoio dos recursos de multimídia.Em relação a esse ponto foram elaboradas 3 situações problemas,mas em função do tempo escolhemos apenas uma.O problema exposto para os alunos foi:



Apresentado o problema aos alunos, foi dado um tempo de 5 minutos para se preparam previamente, para defender ou acusar o réu com argumentos convincentes.O réu podia se juntar com os advogados de defesa, para ajudar  com os argumentos.É válido se ressaltar, que como auxílio foram deixados sobre as carteiras papeis(papel de reuso) e canetas, para a utilização dos discentes.






Terminado o tempo, cada grupo lançou a sua tese inicial, defendendo seu ponto de vista na medida em que surjam réplicas e tréplicas. Durante o julgamento, os advogados de acusação e defesa, podiam chamar as testemunhas para testemunhar contra ou a favor do réu. Os jurados ficavam atentos aos argumentos, e faziam anotações para apresentar ao juiz. Posteriormente ao julgamento, o juiz pediu para os jurados darem sua opinião e dizerem qual argumento foi mais convincente. Após a fala dos júri, o meritíssimo pediu um tempo aos membros da audiência  para tomar uma posição.





Esse momento foi de extrema importância para os bolsistas, visto que os mesmos deveriam dar um veredito final, baseando-se em todo contexto apresentado no julgamento. Ao se reunirem e analisarem suas anotações feitas ao decorrer do evento, todos os juízes esporam suas opiniões a respeito dos argumentos e tomaram uma posição. Das 4 turmas participantes da aula, em 3 destas, os advogados de acusação ganharam a causa, e em 1 turma, os advogados de defesa e de acusação apresentaram argumentos tão convincentes, que não foi possível tomar uma posição, e foi decidido marcar outra audiência.




Esta aula foi bastante produtiva, pois os alunos se mostraram muito interessados no julgamento. O envolvimento pela atividade proposta foi nítido e surpreendente, sem ao menos pedirmos muitos alunos se levantaram e se dirigiram ao meio para falar, usaram palavras adequadas para se reportarem perante ao juiz, e chegaram até mesmo a perguntar como poderiam se portar no julgamento.Também não podemos nos esquecer da criatividade que foi marcante,cada turma com a sua história. Destacamos aqui a nossa satisfação enquanto ao uso desta metodologia, visto que conseguimos perceber o real aprendizado das turmas, que se basearam em muitos contextos expostos em aulas teóricas ministradas anteriormente em sala.Contudo o objetivo desta aula foi despertar e promover o senso crítico, alcançando assim, a contextualização do conteúdo.





Referências Bibliográficas:

MACEDO, Giélia Silva. Como fazer um júri simulado. Disponível em <http://www.mundojovem.com.br/dinamicas/como-fazer-um-juri-simulado>.Acessado em: 10 de nov. de 2015.

ARAGUAIA, Mariana. JÚRI SIMULADO: CLONES. Disponível em:<http://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/juri-simuladoclones.htm>. Acessado em: 10 de nov. de 2015.

AMB - Associação dos Magistrados Brasileiros. Orientação sobre júri simulado para jovens. Disponível em: <http://www.amb.com.br/cej/sub_jurisimulado.html>. Acessado em: 10 de nov. 2015.

LAUTERT, Elin. Elaborando e discutindo o júri simulado.Disponível em: <http://www.colegioisraelita.com.br/index.phpoption=com_k2&view=item&id=153:elaborando-e-discutindo-o-j%C3%BAri-simulado>. Acessado em: 10 de nov.2015.


Texto: Grupo.

Discussão sobre a tragédia de Mariana - MG com os alunos de 9º ano na E.E. Coronel José Martins

          No dia 18 de Novembro foi abordado o assunto sobre a tragédia em Mariana (Minas Gerais) com os 9° anos da Escola Coronel José Martins. Foram mostrados vídeos e diversas imagens de como aconteceu, por que aconteceu e também as inúmeras consequências de umas das maiores tragédias ambientais do Brasil. 




          Os alunos se mostraram bastante interessados sobre o assunto e também um pouco surpresos e chocados com a destruição causada pela enchurrada de lama, desde o rompimento das barragens até sua chegada no oceano. Durante a aula algumas questões foram levantadas, entre elas estão: 

A tragédia de Mariana poderia ter sido evitada?
A SAMARCO (empresa responsável pelas barragens) está dando toda a assistência necessária ás famílias atingidas que estão agora desabrigadas?
Haverá consequências para a SAMARCO?
Os danos ao meio ambiente são reversíveis?
O subdistrito de Bento Rodrigues será recuperado?
Qual o posicionamento do Governo Federal perante os fatos?
•       O Rio Doce, grande atingido pela lama, está mesmo morto?




          Também foram mencionadas as doações recebidas de todos os lugares do Brasil, de como o país se sensibilizou e de como o trabalho dos bombeiros e dos voluntários está ajudando a minimizar o sofrimento das famílias atingidas.





domingo, 22 de novembro de 2015

Tragédia em Mariana - MG

          No dia 18 de Novembro de 2015, retornamos a Escola Estadual Cesário Coimbra para conversarmos com os alunos do 9º ano do ensino Fundamental sobre uma assunto muito relevante, duas barragens da mineradora Samarco se romperam na cidade de Mariana (MG), na última quinta-feira (5). Nessas barragens havia lama, rejeitos sólidos e água. Esses detritos são resultado da mineração na região.
          Visamos esclarecer dúvidas dos alunos referente a algumas questões como: 
  • O que aconteceu em Minas. Por que tem um monte de cidade cheia de lama.
  • Qual é  o tamanho do estrago.
  • De quem é a culpa disso.
  • Essa lama pode contaminar as pessoas.
  • A região vai se recuperar.
  • Que empresa é essa, Samarco? É do governo?
  • Dá para ajudar o pessoal de lá? Como eu faço?
          Notamos que os alunos prestaram muita atenção, pois fizeram várias perguntas sobre o assunto, e houve até uma mobilização por parte deles para arrecadação de donativos para enviar às vítimas da tragédia em Mariana. 
          Componentes do grupo: Adriana, Akiiany, Carol, Dayse, Thamiris e Tiago.










sexta-feira, 20 de novembro de 2015

1ª Caminhada da Promoção da Igualdade Racial



Hoje, Sexta-feira 20 de novembro, ocorreu a 1ª Caminhada da Promoção da Igualdade Racial na cidade de Muzambinho – MG, que contou com a participação das escolas estaduais do município. Essa caminhada, de acordo com o site da Secretaria de Educação de Minas Gerais (educacao.mg.gov.br), tem o intuito de: “promover a igualdade racial e o respeito à diversidade e destacar o importante papel do negro na sociedade.” 


Este evento é um feito inédito da Secretaria de Estado de Educação (SEE), tendo como base a comemoração do Dia da Consciência Negra. Cerca de 800 escolas do Estado se mobilizaram para realizar essa caminhada.
E o PIBID da Biologia de Muzambinho não poderia ficar de fora desse movimento que busca, através da união, demonstrar a importância da luta pela igualdade social.
A aluna bolsista do PIBID Flávia Galera, que esteve presente no evento falou sobre a relevância de tal evento - “ É importante para nossa formação pessoal, não apenas acadêmica. O PIBID também tem uma função social dentro das escolas, temos também que ensinar respeito dentro da sala de aula.” E ainda ressaltou que - “ Temos que apoiar uma causa social importante que é o direito que todos tem de ser tratados com justiça e igualdade. Até por que, isso pode ocasionar e agravar um problema que enfrentamos diariamente, o bullying.”

Confiram as fotos e vídeo da caminhada.








 

Texto por: Sircio Alison




quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Alunos em intercâmbio do curso de Ciências Biológicas publicam seus trabalhos do PIBID na Jornada Regional de Agroecología en el Área Maya da Faculdad Autónoma de Yucatán, México


Este ano foi considerado pela ONU o ano mundial do solo. O grupo do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência) de ciências biológicas do IFSULDEMINAS – Câmpus Muzambinho, desenvolveu no primeiro semestre de 2015 diversos projetos nas escolas de educação básica nesta temática. Em consideração a esta comemoração, coincidentemente, a Jornada de Agroecologia en el Área Maya trouxe como principal tema água e solos. Assim, os alunos Héder Falconi Corrêa e Miller Melo Sanches, ex-bolsitas do programa e que estão atualmente em intercâmbio, tiveram a grande oportunidade de divulgar os trabalhos internacionalmente. O evento foi realizado nos dias 5, 6 e 7 de Novembro de 2015 na Universidad Autónoma de Yucatán, edifício central, na cidade de Mérida, México.

Apresentou-se dois trabalhos em forma de pôster trazendo como título “EDUCACIÓN EN SUELO - LA INFLUENCIA DEL AGUA Y LA VEGETACIÓN EN LA EROSIÓN“ e “CONTRIBUCIÓN DEL MODELO DIDÁCTICO DE POLARIDAD DE SUELOS EN EL APRENDIZAJE DE LOS ESTUDIANTES DE SECUNDARIA”. Os projetos foram desenvolvidos na Escola Estadual Coronel José Martins e na Escola Estatual Professor Salatiel de Almeida, sob a orientação dos professores Jaqueline Carlos Funayama e Walbert Júnior Reis dos Santos. Os trabalhos abordavam métodos de aliar a educação em solos com a produção de materiais didáticos como recurso facilitador da relação ensino/aprendizagem, tornando assim, o aprendizado mais dinâmico e lúdico.

O evento buscava valorizar e compartilhar o conhecimento interdisciplinar e integrado, estimulando a criação de trabalhos na área de solos, água e degradação ambiental. A Jornada Agroecológica contou com workshops, palestras, mesas-redondas e sessões temáticas, além de visitas técnicas ao Parque científico Crupy-Maní, Ruinas Maya de Uxmal e à escola U Yits Ka’na de agricultura ecológica. O evento foi de grande repercussão, com participação de investigadores da Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Alemanha, Espanha, Japão e Estados Unidos. Possibilitando assim, para os alunos brasileiros, a propagação de meios de ensino/aprendizagem utilizadas no Brasil, assim como dar visibilidade a trabalhos de grande importância desenvolvidos com o auxílio do PIBID.
Mais informações: http://yucatan.com.mx/merida/ciudadanos/celebraran-jornada-de-agroecologia-en-el-area-maya




Agricultura convencional e conservacionista - e os impactos ambientais

PIBID 2015 - Segundo Semestre


Grupo: Natália Goulart, Adrieli Martins, Clécia Alves, Larissa Batista e Leonardo Henrique 
Prof. (a) supervisora: Jaqueline Castelo Branco
Cidade: Muzambinho - MG           Séries: 1°e 2° ano do ensino médio    
Escola: Escola Estadual Professor Salatiel de Almeida    

Teoria

Aula 5 - Agricultura convencional e conservacionista - e os impactos ambientais
Dia - 29/10/15 e 05/11/15


As aulas referentes ao tema Agricultura Convencional, Conservacionista e os impactos ambientais foram ministradas na Escola Estadual Professor Salatiel de Almeida, na cidade de Muzambinho/ MG, nos dias 29 de outubro e 05 de novembro de 2015. O conteúdo foi desenvolvido com 4 turmas de ensino médio, sendo duas turmas de 1° e duas turmas de 2° ano.

O método adotado nas aulas foi o expositivo dialogado, utilizando como suporte os recursos de multimídia, para melhor desenvolvimento, contextualização e entendimento do assunto pelos discentes.      


Conteúdo Programático da Aula

  • Introdução;
  • Agricultura Conservacionista: Ênfase na agricultura familiar e sua grande importância para a comunidade;
  • Requisitos necessários para se tornar um agricultor familiar;
  • Onde a agricultura se encontra e os benefícios para a população;
  • Vídeo -
  • Agricultura Convencional: O que é?, importância, contextualização por meio uso de charges, exploração de elementos gráficos com os índices de alimentos com níveis de agrotóxicos acima do permitido;   
  • Quadro comparativo das diferenças de agricultura convencional X orgânica;
  • Impactos ambientais ocasionados pela agricultura: O que são impactos ambientais?,esgotamento de água doce, desmatamento, erosão e eutrofização; 
  • Agricultura convencional e os impactos ambientais: Questionar aos alunos, histórico - revolução verde, o que é agrotóxico?, o uso de agrotóxicos,  e impactos;
  •  Síntese geral (Recapitulação).  

Ao final das aulas teóricas foi feita uma síntese do conteúdo abordado em sala de aula, a qual visa uma recapitulação do conteúdo junto aos alunos. E em função de tratarmos alguns temas polêmicos nas aulas, dos quais promoveram algumas discussões pertinentes entre os discentes, pensamos em elaborar uma aula prática que vise promover o senso crítico dos estudantes. Mas para isso os bolsistas pediram aos alunos que pesquisassem um pouco mais sobre o tema estudado, para o próximo encontro.










 Texto: Grupo